Distrito industrial um sonho quase realizado

Há muito tempo a população sonhava com a implantação na cidade de um distrito industrial, e com ele a geração de empregos e renda. O percurso até os dias de hoje foram longos, mas esse sonho está próximo de se concretizar.

Foram muitas as idas e vindas no projeto de implantação por conta de exigências legais e ambientais. Mas a passos largos, o projeto começou a caminhar durante a gestão passada do governo Carlos Alberto Ramos de Faria. Durante o mandato do prefeito Bebeto, foram terminadas as obras de infra estrutura e resolvidos os impasses jurídicos e ambientais para seu funcionamento, quando o governo municipal iniciou a licitação dos lotes para implantação das empresas interessadas.

Em 2015 participaram das licitações e assinaram contratos com o município as empresas AGT Argamassas e Tintas Ltda., Supermercado Rei do Arroz, Construtora 14 bis, STD Container’s, Serraria Irmãos Dornelas Ltda, e Cimec – Cimentos e Concretos. A perspectiva de contratações diretas era de 600 postos de trabalhos diretos e indiretos de igual número.

Os títulos do terreno foram entregues pelo então prefeito Bebeto Faria, em 19 de novembro de 2015, no Palácio Alberto Santos Dumont, recebendo as empresas a concessão pelo prazo de 30 anos.

Situação Atual

Na última semana procuramos saber como anda o desenvolvimento do distrito industrial. Nossa reportagem procurou o secretário de Administração José Geraldo de Almeida (foto) que comentou sobre o assunto:

“A mensagem que eu tenho a transmitir aos leitores do jornal e à população sobre o que ocorre no distrito industrial é de otimismo. A preocupação primeira do Executivo hoje é manter a folha de pagamento em dia, saúde com o pagamento das subvenções em dia e ainda a criação de empregos. Mas para se criar novas oportunidades de emprego em Santos Dumont, é preciso dar uma sustentabilidade. Digo isso o seguinte, mecanismos para se criar empregos. O que o prefeito nos determinou? Que fizéssemos a documentação de toda a regularização do distrito industrial. Pois bem, entramos em contato com o Estado, que era parte detentora de daquele espaço, através da Codeminas, que não nos repassou a  escritura, mas em breve distribuiremos os lotes ainda vagos. Terá que ser feito através de processo licitatório, haja visto que há muitos pretendentes. Acredito que hoje Santos Dumont está crescendo muito naquela região do distrito. Nós temos lá o Grupo Rei do Arroz, que está construindo seu Centro de Distribuição de Mercadorias, nós temos aquela fábrica de laticínios que vai inaugurar até novembro e deve gerar aproximadamente 100 empregos. Nós temos a Magal lá montado a sua sede e por aí vai. Várias empresas estão picoteando aquele distrito industrial. Acredito que até dezembro vai estar tudo regularizado e praticamente tudo ocupado”.

Progressos

Essa semana nossa reportagem foi até o distrito industrial e constatamos que há progressos em alguns lotes. Um exemplo de sucesso na implantação é o Centro de Distribuição do Supermercado Rei do Arroz, além do laticínios RPC, a IMA Reflorestamento e a CIMEC, que já operam no local, entre outros empreendimentos. O que falta mesmo é inaugurar, pois os tão esperados empregos, renda e bem estar social já começam a ser produzidos.

 

Em fevereiro de 2016, o então prefeito Bebeto Faria acompanhado de assessores e representantes da sociedade verificam progressos no DI.
A perspectiva é que após inauguração, o DI vá gerar 600 empregos diretos e igual número de indiretos.
O secretário de Administração do governo Betinho, José Geraldo de Almeida, comenta na reportagem, como está se desenvolvendo o DI.