Esgoto invade residência na Rua Machado de Assis

Vice-prefeito acredita em irregularidades na execução de obra

 

Há mais ou menos seis dias um vazamento de esgotos da rede pública tem ocorrido na Rua Machado de Assis, no bairro Córrego do Ouro, e atingido uma residência, tirando o sono da família atingida e colocando em risco a saúde de todos que lá residem.

Na segunda-feira, dia 10, o vice-prefeito Gerson Guedes Rabello esteve na residência da família atingida e constatou que o poder público tem que agir rapidamente. Na terça-feira a COPASA e a Prefeitura Municipal compareceram ao local para verificar a gravidade do caso. O caso está sendo avaliado por técnicos das duas empresas.

A situação descrita é a seguinte: a rede pública de esgotos sofreu um dano ainda não identificado e o fluxo de esgotos acabou vazando para dentro da residência de uma moradora, que está sendo obrigada a conviver com o mal cheiro e com dejetos sólidos dentro de sua própria casa.  O esgoto está escorrendo pela parede e saindo por debaixo da casa afetada.

Nossa reportagem encontrou-se com o vice-prefeito e questionou a situação.

JM – Vice-prefeito, como o senhor avalia a situação da residência da Rua Machado de Assis?

Gerson – “Aquela Rua Machado de Assis, eu morei e nasci naquela rua, conheço bem aqueles problemas. O problema veio logo depois que começaram a implantar o calçamento no Morro dos Coutinhos jogando a água pluvial e o esgoto naquela rua. Aqueles moradores eu também conheço desde criança, e o problema ali foi criado pela rede de esgotos. O problema é serio, pois sabemos que é por incompetência. Por que? Eles não colocam pessoas que tenham conhecimento neste tipo de trabalho. Colocam como secretário qualquer pessoa, e o que acontece? Resolveram misturar, para economizar ou talvez mesmo por irresponsabilidade, água pluvial com rede de esgoto. Quando chove muito dá sempre aquele problema. Então tentaram fazer uma intervenção e já ali começou uma coisa errada na Prefeitura. Eles queriam influenciar quem iria fazer aquilo nas licitações. Isso aí foi sério. Porque daí o Anderson, que era o secretário saiu. O Anderson não aceitou provavelmente o esquema.

O que aconteceu foi que provavelmente fizeram um serviço sem qualidade. Com menos de um ano, o que eu vejo? Mais irresponsabilidade com dinheiro público jogado fora.

Situação Crítica

Gerson afirmou que os moradores não podem continuar com esse problema, já que o risco de contaminação é grande. “Não sei como aquelas pessoas estão conseguindo se alimentar ou como estão conseguindo dormir. Fui lá essa semana atender o chamado de dona Natalina, cobrei a presença do senhor prefeito. Se é ele que manda, foi ele que mandou fazer aquela porcaria, que ele volte lá e mande fazer direito, porque a mulher não pode viver naquela merda que está vivendo não. O que me preocupa é que eu convidei o prefeito para ir lá, acho que ele não está indo lá sabe por que? E que ele está com medo de se misturar com aquele lugar”, afirmou o vice-prefeito.

“Volto a afirmar que está faltando na Prefeitura é profissionalismo. Eles querem e acham que a Prefeitura é para fazer e jogar esse dinheiro fora. Dizem que jogaram R$ 250 mil reais fora. Eu estive lá com a Vilma da COPASA e com o Cláudio. Ela disse que não entraria neste assunto, pois é um jogo de empurra. Eu acho que tem que acabar essa briga entre a COPASA e a Prefeitura, porque no final quem perde é quem? É a dona Natalina, é a Rosicléia é o Marcos. A Prefeitura tem que tratar com responsabilidade quem paga seus impostos”, afirmou o vice-prefeito Gerson.