Justiça dá início a julgamento do “Caso Márcia” – Jornal Mensagem

Justiça dá início a julgamento do “Caso Márcia”

Na tarde desta segunda-feira (16), a Justiça do Estado de Minas Gerais, através da 1º Vara de Justiça da Comarca, deu início à coleta dos depoimentos do caso ‘Márcia Karoline’, que foi cruelmente assassinada por Emerson Marques Vidal, no período natalino de 2017. O magistrado responsável pelo caso é o Dr. Marcelo Alexandre do Valle Thomaz.

Em dezembro de 2017, no dia 21 daquele mês, os familiares de Márcia Karoline deram por falta dela e prestaram queixa de seu desaparecimento. A Polícia Civil iniciou a investigação no intuito de localizá-la. Foi descoberto pela equipe de investigação, liderada pelo Dr. Cleber Faria da Silva, que a menina que pretendia retornar à sua casa no bairro Boa Vista, saiu da casa de seu pai no Córrego do Ouro juntamente com seu irmão, mas ao chegar ao ponto de ônibus acabou mudando de idéia e fez parte do caminho à pé. Segundo informações levantadas pela polícia, Márcia teria sido abordada no trajeto por um suposto amigo, mas uma única testemunha viu seu embarque no veículo de relance, não conseguindo guardar as características do automóvel. Lamentavelmente, no dia 26 de dezembro daquele ano, o corpo de Márcia Karoline foi descoberto em uma estrada rural no município de Oliveira Fortes, já em estado avançado de decomposição.

Investigação

Começou aí uma dura investigação para se descobrir a autoria do crime. A Polícia Civil começou a cruzar informações e nas redes sociais foi divulgada a possibilidade do pai ter cometido o crime, situação essa descartada no decorrer das investigações. Em outro momento, as redes sociais, através do WhatsApp, ventilaram o nome do pintor Emerson Vidal como sendo o possível autor do crime. Vidal concedeu entrevista a uma equipe da imprensa local, se disse injustiçado e ao final da entrevista fez ameaças veladas a possíveis testemunhas. A entrevista acabou sendo objeto da investigação e conseqüentemente do inquérito que apurou o caso.

Autoria

No dia 16 de março deste ano, a Polícia Civil conseguiu reunir evidências suficientes para pedir à Justiça uma ordem de prisão contra Emerson Vidal. O crime de cunho sexual resultou em homicídio, com ocultação de cadáver e conseqüentemente obstrução das investigações por parte de Emerson. No decorrer das investigações, uma das testemunhas foi violentamente agredida por Vidal, pois em seu depoimento, acabou citando o seu agressor como possível autor do crime. Após as agressões, a vítima foi à polícia e deu queixa de seu agressor. Outro fato que contribuiu para as investigações foi a queixa de uma moça, que no início do ano estava sendo assediada, pois ela possuía as mesmas característica de Márcia Karoline, morta em dezembro. A jovem, naturalmente com muito medo, juntamente com seus pais, foram até a polícia e deram queixa de Emerson Vidal.

Após sua prisão, Emerson prestou novo depoimento à equipe da Polícia Civil. Novamente ele negou ser o autor do assassinato de Márcia. Ao ser informado que no corpo da vítima foi coletado material biológico para análise, e já prevendo o resultado, Emerson Vidal informou às autoridades que as vezes mantinha relações sexuais com a vítima, e que essa sempre o procurava, isso uma vez que ele já era conhecido e “amigo” da família. Na data especifica do desaparecimento, Emerson disse que viu Márcia se aproximar de sua casa, que conversaram um pouco e logo após ambos entraram para sua residência, onde mantiveram relações. Logo após o encontro, ele teria dado carona a ela até a Graminha, pois segundo Emerson, ele iria visitar um amigo em Correio de Almeida, em Barbacena. O algoz de Márcia começou a se complicar durante seu depoimento, pois confirmou ter mantido relações sexuais com uma menor, e não soube explicar a que amigo ele iria visitar.

Acreditando que fosse ele o autor do crime, a polícia fez uma intensa varredura no terreno da residência de Emerson na busca de provas, mas nada foi encontrado, e o veículo de sua propriedade foi confiscado para análise pericial.

            Julgamento

Essa semana, um novo desdobramento começou com o julgamento do caso Márcia Karoline, quando a Justiça analisará o inquérito, as provas apresentadas e decidirá o destino do pintor Emerson Vidal, que pode ser sentenciado a até 30 anos de prisão.

Márcia Karoline
Polícia Militar monta dispositivo de segurança esperando manifestações.