Pecuaristas devem estar atentos a período de vacinação da Febre Aftosa – Jornal Mensagem

Pecuaristas devem estar atentos a período de vacinação da Febre Aftosa

No último dia primeiro começou em todo o país o período de vacinação de combate à febre aftosa. A primeira etapa vai até o dia 31 próximo. Devem ser vacinados todos os bovinos e bubalinos, independente da idade. A segunda etapa acontece do dia 1º ao dia 30 de novembro. Devem ser vacinados bovinos e bubalinos com idade de zero a 24 meses.
Multas

O produtor que não vacinar seu rebanho estará sujeito a multa de 25 Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (Ufemgs) por animal. Quem não fizer a declaração de vacinação do seu rebanho estará sujeito a multa de 05 Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (Ufemgs) por animal.

Para comprar a vacina o produtor deve apresentar CPF e identidade nas lojas de revenda de produtos veterinários. Deverá adquirir a quantidade necessária para o montante do seu rebanho.
Do momento em que forem adquiridas na loja, durante o transporte e até o momento da aplicação as vacinas deverão permanecer em ambiente refrigerado.

É fundamental mantê-las em geladeiras ou em caixas térmicas com muito gelo, de forma que estejam armazenadas em temperatura entre 2 e 8 graus centígrados, inclusive no momento da aplicação. Deve-se agitar o frasco da vacina antes de fazer a aplicação. Cada animal deverá receber uma dose de 5ml de vacina

Deverão ser utilizadas seringas automáticas ou descartáveis e as agulhas deverão ser trocadas com frequência. É obrigatório declarar a vacinação do rebanho junto ao IMA – Instituto Mineiro de Agropecuária.
A declaração deverá ser feita até o dia 10 de junho (para a etapa de maio) e até 10 de dezembro (para a etapa de novembro). Á época da declaração utilize o site www.ima.mg.mg.gov.br .

O Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa tem como estratégia principal a implantação progressiva e manutenção de zonas livres da doença, de acordo com as diretrizes estabelecidas pela Organização Mundial de Saúde Animal – OIE.
As ações desse Programa são as seguintes: Cadastro e manutenção atualizada dos dados de propriedades rurais; Desenvolvimento de sistema de informação e vigilância em nível estadual; Promoção e fiscalização da vacinação de bovinos e bubalinos; Supervisão da vacinação em áreas ou propriedades de risco; Controle do trânsito de animais e de seus produtos e subprodutos; Fiscalização da distribuição e o comércio de vacinas contra Febre Aftosa; Atendimento e erradicação dos focos da doença, bem como às notificações de suspeita de doença vesicular; Fiscalização de eventos agropecuários (feiras, exposições, leilões e outras aglomerações).

Para ser considerado livre de Febre Aftosa, o País deve comprovar que não existem casos da enfermidade em seu território. Há uma distinção entre área livre de Febre Aftosa sem vacinação e área livre com vacinação.
Fonte: IMA

Foto: Gilberto Freire

Os produtores devem ficar atentos ao período da primeira fase da vacinação que encerra no dia 31/05.