Presidente do COMTRAM queixa-se de alterações de trânsito

Após as festividades do Carnaval, o presidente do COMTRAM – Conselho Municipal de Trânsito e Mobilidade Urbana, Clésio de Oliveira Santos, manifestou seu descontentamento em relação às alterações de trânsito realizadas sem qualquer consulta ao Conselho.

Durante a organização do carnaval o poder público municipal, colaborando com a ABESS – Associação de Blocos e Escolas de Samba, acabou definindo a interrupção de trânsito em ruas da cidade durante a passagem dos blocos. Todas as alterações foram definidas e acertadas entre a ABESS e as secretarias de Administração, Transporte e Trânsito e a Polícia Militar.

Na reunião desta semana do COMTRAM, realizada no Sindicomércio, o presidente Clésio, já na leitura da pauta, manifestou seu descontentamento, uma vez que o Conselho não foi convocado para manifestar sua opinião nas referidas alterações.

Justificativa

Segundo Edmilson Inácio de Souza, presidente da ABESS, ele participou de várias reuniões no Palácio Alberto Santos Dumont com status de convidado, não cabendo a ele convidar ninguém.

Por sua vez, o secretário de Transporte e Trânsito Luiz Carlos Frossard, também comungou com o argumento de Edmilson, sendo ele também um convidado, não tendo poder para convidar. Frossard recomendou ao presidente do COMTRAM que enviasse à Secretaria de Administração oficio queixando-se do esquecimento e cobrando do Executivo para que quando procedesse a realização de reuniões que discuta o trânsito, que a autoridade competente possa convidar o Conselho.

Durante o período das discussões das alterações de trânsito durante o Carnaval, Clésio Santos encontrava-se em tratamento, pois breve sofreria uma intervenção cirúrgica.

Argumentando ainda sobre o esquecimento do Executivo, Clésio disse que o Conselho foi criado por ato do prefeito durante a gestão de Evandro Nery, e que no governo deste e de Bebeto Faria, o Conselho sempre foi consultado em tudo. Não entende o porquê no atual governo teria que formalizar pedidos. Ainda que estivesse impedido por questões de saúde, o Conselho ainda possui um vice-presidente, uma secretária e um corpo técnico que poderiam participar das reuniões.

Para desfazer o mal entendido, o secretário Frossard, reinterou ao presidente a necessidade de oficializar o pedido endereçado à Secretaria de Administração.

Fotos: Gilberto Freire