Secretário municipal fala sobre gestão do atual governo

O Secretário Municipal de Administração, José Geraldo de Almeida, falou na última semana sobre os serviços prestados pela Prefeitura Municipal de Santos Dumont, mesmo diante da crise econômica do país, sobretudo, do estado de Minas Gerais.

Obras

De acordo com o secretário José Geraldo, a Prefeitura está na metade das obras de reconstrução da ponte de Conceição do Formoso, que foi destruída pelas chuvas. Segundo ele, uma cabeceira está pronta e a outra parte já foi iniciada pela empreiteira.

O secretário esteve em Belo Horizonte no último dia 26 de outubro, onde confirmou a vinda das vigas, que chegarão ao município assim que as cabeceiras da ponte estiverem concluídas. O governo do estado contribuirá com três vigas de 18 metros cada uma para finalizar a ponte.

De acordo com José Geraldo, o ex-prefeito Bebeto Faria deixou R$ 28 mil em materiais de construção comprados em dezembro de 2016, que não puderam entrar na construção da ponte de Formoso, pelo valor contratado para a construção da ponte incluir material e mão de obra. O material deixado pela administração passada será utilizado em obras da Prefeitura no município.

Ainda segundo o secretário, a previsão de entrega da ponte de Formoso será em aproximadamente dois meses. “Assim que a ponte estiver concluída, o prefeito Carlos Alberto de Azevedo (Betinho) irá inaugurá-la juntamente com a população de Formoso, que tem ajudado muito”, disse o Secretário.

O valor total da reconstrução da ponte fica em R$ 201.475,00 (duzentos e um mil, quatrocentos e setenta e cinco reais) custeados com recursos do próprio município.

O secretário também falou das sete ruas asfaltadas pelo município desde o início da administração, também com recursos da própria Prefeitura, como ruas do bairro Nossa Senhora Aparecida e Rua Giovanni Peduzzi, no bairro Córrego do Ouro, que está pronta para serem inauguradas.

Foram gastos R$ 700 mil com recursos da Prefeitura para asfaltar sete ruas. Além disso, outros bairros foram asfaltados com emendas do deputado federal Luiz Fernando Faria. As próximas ruas a serem asfaltadas serão a Rua 13 de Maio e o restante das ruas do bairro Nossa Senhora Aparecida, com recursos de emenda do deputado Luiz Fernando, sendo essa a meta do município para asfaltamento.

Educação

Além das ruas asfaltadas, a Prefeitura reformou sete escolas com recursos próprios, como a Escola Municipal Malaque Neif Haddad – CAIC (nesta escola foi utilizado também os recursos enviados pela MRS no governo do prefeito Bebeto Faria); a Escola Municipal Professora Maria Aparecida Dias, no Distrito de Nova Dores; a Escola Municipal Canarinhos Brasileiros; além de outras instituições municipais, desde pintura à reestruturação de prédio.

De acordo com José Geraldo, a Secretaria Municipal de Educação conta com 579 profissionais, sendo 380 professores. “O município atende cinco mil crianças na rede municipal, com escolas, onze ônibus para o transporte de alunos e uma das melhores merendas escolares da região”, afirmou o Secretário.

José Geraldo também falou da possibilidade de fechamento de algumas escolas no próximo ano, devido à diminuição do número de alunos. “Hoje, temos escolas em distritos com apenas doze alunos, e é inviável manter uma escola com poucos alunos. A Prefeitura, se decidir pelo fechamento dessas escolas, irá transferir esses alunos e disponibilizar o transporte deles para outras escolas, atendendo a todos”, enfatizou o secretário.

Serviços Públicos

De acordo com informações de José Geraldo, no ano passado (2017), a Prefeitura gastou aproximadamente R$ 140 mil para a limpeza do Rio das Posses. “Em virtude dessa crise que assola o estado de Minas Gerais e que abrange todas as prefeituras, o prefeito Betinho solicitou ao juiz, através de ofício, que dez detentos sejam aproveitados na limpeza do rio”, disse o secretário. “Com a liberação do juiz, a Prefeitura dará toda a infraestrutura, como uniformes e equipamentos, e os detentos trabalharão em benefício deles próprios, que será a redução da pena. Já está praticamente certo, só estamos aguardando a liberação para iniciarmos a limpeza do rio”, concluiu.

Sobre a coleta de lixo, o Secretário disse que a Prefeitura terceirizou dois caminhões de lixo para o serviço, através de licitação. “Nossos caminhões estão todos sucateados, e o serviço de coleta exige muito dos caminhões, que não estavam suportando o serviço por quebrarem e ficarem parados em oficinas. Com a terceirização, sempre temos dois caminhões trabalhando. Embora também não esteja sendo suficiente devido à quantidade de lixo que o município gera”, disse José Geraldo. Segundo ele, a Prefeitura está estudando a possibilidade de incluir mais um caminhão para atender melhor a população.

De acordo com José Geraldo, o Cemitério Municipal é um problema que preocupa a administração pela falta de mão de obra. “O Ministério Público solicitou à Prefeitura a mudança do necrotério de local, que hoje fica no Hospital de Misericórdia. Já o Ministério da Saúde pediu a mudança do necrotério para estender o Pronto Socorro Municipal”, disse o secretário. Segundo ele, diante das solicitações, o prefeito Betinho pediu que o engenheiro da Prefeitura, José Carlos Abijaude, fizesse a planta do necrotério, que será construído no bairro João Paulo II (antigo Jardim Jaraguá), com o valor estimado de aproximadamente um milhão de reais. “O projeto com três capelas e três banheiros pode ser terceirizado ou a Prefeitura poderá assumir a construção do novo necrotério. Vamos estudar a opção mais viável”, disse José Geraldo.

Saúde

De acordo com José Geraldo, o governo do estado deve sete milhões de reais à saúde do município. “O dinheiro não é repassado à Prefeitura desde o ano de 2014. Nós temos como comprovar”, disse o secretário. “Embora haja esse déficit, a saúde do município hoje capta 29% do contingente total da Prefeitura, incluindo o repasse mensal de R$ 250 mil ao Hospital de Misericórdia, embora o obrigatório seja 15%”, concluiu.

De acordo com o secretário, os remédios básicos estão disponíveis na Secretaria Municipal de Saúde e a Prefeitura está cumprindo os mandados judiciais. “As consultas, transportes, tratamentos dentários, transferências de pacientes para Juiz de Fora e as cinco ambulâncias também estão funcionando normalmente, embora esteja muito difícil sem o repasse do governo do estado para a saúde de Santos Dumont”, afirmou José Geraldo de Almeida.

Gláucia Rabello