Vagas de médicos cubanos são ocupadas no município

Profissionais estão no período de validação de documentos e iniciarão as atividades até o dia 14 de dezembro

A Secretaria Municipal de Saúde completou as vagas deixadas pelos médicos cubanos que integravam o Programa Mais Médicos no município.

De acordo com a secretária Cláudia Paschoal, o município conta com 14 vagas junto ao programa do governo federal, sendo oito vagas ocupadas por médicos brasileiros e seis vagas que eram ocupadas por médicos cooperados cubanos.

“Estamos no período de validação de documentos dos candidatos, onde eles estão se apresentando e até o dia 14 de dezembro, esses profissionais estarão iniciando as atividades”, disse a secretária de saúde.

No último dia 14, o governo de Cuba anunciou a saída do país do Mais Médicos devido às alterações que seriam realizadas nos termos de cooperação do programa, anunciada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.

Foto: Ilustrativa

Essas alterações incluiriam o pagamento direto aos profissionais médicos disponibilizados por Cuba – que hoje é realizado através da Organização Pan-Americana da Saúde, a permissão para os médicos residirem no país com suas famílias e a exigência da revalidação dos diplomas no Brasil.

Com a desistência de Cuba junto ao programa, o governo disponibilizou as seis vagas, através do edital aberto pelo Ministério da Saúde, para substituir os médicos cubanos.

“Foi um processo meio turbulento com a desistência de Cuba. O Ministério da Saúde está correndo contra o tempo para que os municípios não fiquem desassistidos. Aqui no nosso município, se ficarmos desassistidos será por um período de 10 a 12 dias, em algumas unidades”, enfatizou Cláudia.

Hoje, devido à fase de validação dos profissionais, algumas localidades estão sem atendimento médico, como Mantiqueira e Patrimônio dos Paivas.

Já os distritos de Dores e Cachoeirinha não estão sofrendo com a falta de profissionais por serem atendidos por médicos cooperados brasileiros.

Segundo a secretária, é importante ressaltar que o Ministério da Saúde agiu rapidamente nas localidades da região sudeste, como nos municípios de Santos Dumont, Juiz de Fora, Barbacena, entre outros, que não ficarão desassistidos com a falta de médicos.

“Nossa atenção básica hoje disponibiliza 20 médicos. Para uma população de 46 mil habitantes, o município ainda se encontra numa situação privilegiada”, destacou a secretária.

Ainda de acordo com Cláudia, é importante ressaltar que pra a atenção básica, bem como para as estratégias de saúde da família, a saúde no município ainda conta com o apoio de seis médicos brasileiros que são contratados pela Prefeitura.

O Programa

O Programa Mais Médicos foi lançado em 2013, pelo governo federal, com o objetivo de atender os municípios do interior e das periferias das grandes cidades brasileiras que sofrem com a falta de médicos.

Segundo o Ministério da Saúde, os profissionais brasileiros tiveram prioridade no preenchimento das vagas oferecidas no início do Mais Médicos, com a falta de procura por parte de médicos brasileiros, o programa foi aberto a estrangeiros, e posteriormente, houve uma negociação com o governo cubano para que as vagas fossem oferecidas a profissionais de Cuba, que estavam no país desde o ano da criação do programa.

Gláucia Rabello.