Vandalismo danifica estátua em bronze de Alberto Santos Dumont

Durante o último final de semana, na madrugada de domingo (17), vândalos danificaram um dos principais e mais belos patrimônios de nossa cidade, a estátua em bronze de Alberto Santos Dumont, instalada na praça Cesário Alvim. A ação criminosa danificou a perna direita da estátua. O monumento foi entregue à população em 23 de outubro de 2012, durante o último ano de governo do então prefeito Evandro Nery.

A proposta da criação da escultura surgiu em 2011, com a proposta do vereador Flávio Faria, que  sugeriu a ideia ao então prefeito. Evandro acatou a sugestão e encomendou a criação ao escultor Pedro César. Após a inauguração da estátua no Dia da Asa, a população acolheu o monumento, que é uma importante reverência ao inventor Alberto Santos Dumont.

Tão logo foram divulgados os danos sofridos pela estátua, as reações de repúdio começaram a surgir nas redes sociais.

Vereador Flávio Henrique Ramos de Faria

“Me sinto triste com o ocorrido, mesmo porque eu fui um dos idealizadores, que na época do governo do prefeito Evandro, o procurei com a ideia de que pudéssemos colocar a estátua de Santos Dumont aqui na praça. Tanto a estátua quanto a réplica do avião 14 bis. Então eu e ele ligamos para vários escultores, e na época ele pediu-me que fizesse um esboço e que procurasse um desenhista para que fizesse uma réplica para ter uma ideia de como seria o monumento. Fui atrás do Chico Cruz e ele fez o esboço e a réplica, e aí a ideia começou a se concretizar. Na época a cada 10 cm que aumentasse na estátua, o custo ficaria em R$ 10 mil reais mais caro. Evandro alegou pra mim que não teria condições naquela ocasião de fazê-la. Para minha surpresa, pouco tempo depois ele mandou fazer e inaugurou, eu até fiquei aborrecido porque não fui convidado para a inauguração. De qualquer maneira a ideia foi acatada, e foi feita essa tão bela homenagem ao Alberto Santos Dumont. E eu acabei ficando muito satisfeito. Não sei o que ocasionou a quebra da perna da estátua, mas logo entrei em contato com Thiago Guimarães, que me informou quais providencias estão sendo tomadas para o seu reparo.”, comentou Flávio Faria.

Professor Renan Souza

“No ano de 2012, com a finalização da reforma da praça, levamos ao prefeito Evandro Nery a ideia de homenagear Santos Dumont. O artista veio até aqui. Foi quase um ano trabalhando em cima dessa obra de arte com trocas de imagens e e-mails constantes, para eu acordar domingo e receber inúmeras fotografias desse ato praticado. Onde vamos parar? Será que foi uma ação do tempo? Nem 6 anos completos! Ou tem um nome para essa crueldade?! Tá difícil.”, afirmou o professor Renan Souza, assessor da Secretaria Municipal de Educação.

Professor e músico Tiago Guimarães

“É o que venho falando nas reuniões que iniciamos na busca por uma prioridade no turismo potencial do município. É inútil somente criar produtos e reformar os já existentes, pois temos que, em paralelo a essas ações, trabalhar na conscientização da preservação patrimonial e na valorização de nossos produtos turísticos já existentes. Precisamos de todos no árduo trabalho de conscientização municipal: pais, professores, iniciativa pública e privada. Ninguém colocará o município no lugar que merece sozinho! Todos Juntos.”, disse o professor e músico Tiago Guimarães, atual chefe de Departamento de Turismo da Prefeitura.

Não foi possível ainda responsabilizar o responsável ou responsáveis pelos danos, e infelizmente também não é possível identificá-los pelo sistema de videomonitoramento, já que a estátua fica em um ponto cego da vigilância. Se valendo disso, os vândalos danificam o patrimônio público sem serem incomodados. É hora para que as autoridades estendam o videomonitoramento a outros pontos da Praça Cesário Alvim.

Na Câmara Municipal, na reunião desta segunda-feira última, o comentário não era outro. Agora cabe ao Poder Executivo buscar o quanto antes fazer o reparo da estátua. Quanto aos demais cidadãos, todos nós temos que zelar pela segurança do nosso patrimônio, mesmo que venha desagradar uma pequena e desinteressada minoria.

Fotos: Gilberto Freire