Vereador quer explicações sobre denúncia de perda de recursos

Denúncia afirma que Município

perdeu R$ 40 mil da Sec. de Estado da Cultura

O vereador Flávio Faria apresentou durante a última reunião da Câmara Municipal, pedido de informações ao Executivo Municipal com relação projeto “Sua Vida Sua Obra”, inscrito no Fundo Estadual de Cultura pelo departamento de Cultura e Turismo da administração do ex-prefeito Bebeto Faria, que foi aprovado e previa a liberação de uma verba de R$ 40 mil reais a ser investida na preservação do acervo do Museu de Cabangu.

Segundo denúncias veiculadas nas redes sociais, a Secretaria de Estado de Cultura enviou ao prefeito Betinho ofício no dia 08 de fevereiro de 2017 comunicando a aprovação do projeto, solicitando a assinatura do mesmo e a devolução até o dia 22 de fevereiro para que os recursos fossem liberados , o que não teria ocorrido, ocasionando a perda dos recursos.

O vereador teve acesso ao convênio e confirmou que os recursos estavam assegurados, mas com data fixada para assinatura e recebimento da verba. Flávio pede aos integrantes da atual administração informações sobre o assunto e se as providências devidas foram ou não tomadas. “Num momento de tanta dificuldade para se conseguir recursos, temos que ter uma boa explicação para nossa cidade abrir mão desse dinheiro, ainda mais para beneficiar o Museu de Cabangu, que precisa tanto de apoio do poder público”, afirmou o vereador ao JM.

Explicações

Nossa reportagem entrou  em contato com o Secretário de Meio Ambiente, Turismo, Esporte e Lazer, Marcos Germano, para saber o posicionamento do Governo Municipal sobre o assunto.

Marcos Germano afirmou que:

“Eu não estou a par desta perda de convênio não. Nós inclusive até abrimos a conta para receber este repasse. E muitas vezes as pessoas sabem mais que a gente que estamos na secretaria né?  Eu não estou sabendo de nenhuma perca de repasse, se a pessoa poder me passar o número do repasse perdido, e por que ele foi perdido? Eu como secretário de Turismo não estou a par disso, mas talvez essas pessoas saibam mais que a gente da secretaria que estamos trabalhando dia a dia.